O que o outros decidiram?

Olá amigo leitor! Vamos para mais uma curiosa técnica da arte de influenciar pessoas. Inicialmente, relatarei um comportamento pessoal. Eu viajo para diversas cidades a trabalho e habitualmente peço indicações de restaurantes e hotéis, além de verificar se eles estão movimentados. Isto é, eu quero ir nos ambientes em que a maioria aprova, pois assim acredito estar tomando a melhor decisão, minimizando ao máximo os prejuízos. Dessa forma, eu penso cometer menos erros se agir de acordo com as evidências sociais, tratando-se de uma ação certa. Ok? Na verdade, é mais um comportamento “reação” do que uma ação (ou decisão) realmente calculada.

Sem dúvida, quando as pessoas estão inseguras, tendem a se basear nas ações dos outros para decidirem como elas próprias devem agir. Além do que, existe outra importante condição: a semelhança. Estamos mais inclinados a seguir a liderança de alguém semelhante. Irrefletidamente nós imitamos o comportamento de quem nos assemelhamos. Comportamento este comumente encontrado entre crianças e adultos em atividades tão diversas quanto decisões de compras, doação para caridade etc.

Portanto, temos a tendência de achar que uma coisa é certa por relacionarmos com a quantidade de pessoas fazendo aquilo ou tendo aquela opinião. Está aí, mais um atalho mental para a nossa lista de técnicas de influência, a Aprovação Social. Um exemplo corrente: programas de auditório usam risadas gravadas para fazer com que as pessoas riam mais e com mais frequência. Isso funciona até mesmo com piadas ruins.

Na persuasão, a técnica será aplicada no intuito de influenciar a opinião da outra pessoa. O profissional da persuasão sabe disso e utiliza o comportamento dos outros para estimular o de seu prospecto. Assim ele induz determinada maneira de pensar e agir do outro.

Mesmo essa técnica sendo muito eficaz, eu a considero um tanto inconsistente em certos casos. A aplicação dela será ineficaz no longo prazo se estiver ligada à falsidade. Falar bem de seu produto ou serviço, apresentando exemplos de clientes que compraram, ou também comentários e pesquisas em torno do que você vende são ótimas maneiras de obter o sim; associando para si, o máximo de valor em sua oferta. Porém, forjando a realidade, você não logrará êxito consistente, pois o maior valor de uma parceria está no compromisso com a ética. Pelo menos, é assim como eu penso. E você, identificou em si mesmo algum comportamento semelhante? Se quiser compartilhar nos comentários, tenho certeza que aprenderemos ainda mais.

2 comentários sobre “O que o outros decidiram?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s